Iêda Maria de Oliveira Lima – BIOGRAFIA

Iêda Lima nasceu em Campina Grande, em 1948. É filha de Otávio Adelino de Lima, mais conhecido entre seus amigos como “Barra Branca”, e de Luzia de Oliveira Lima.

Estudou no Externato São José, Colégio Diocesano Pio XI e Colégio Estadual da Prata. Neste, fez o ensino médio, em curso noturno, pois trabalhava como professorinha, em uma escola municipal, e depois no Convento Seráfico Santo Antônio Ipuarana, em Lagoa Seca.

Foi membro da Juventude Estudantil Católica (JEC) nos anos 60, onde despertou para um mundo novo da filosofia, das artes e da política.

Aos 18 anos saiu para Recife, em busca de oportunidade de emprego, o que lhe daria condição de continuar estudando.

Em Recife, trabalhou como professora dos primeiros anos do ensino fundamental e como Auxiliar de Escritório, no SENAC. Enquanto fazia o curso de História, em curso noturno, na Universidade Católica de Pernambuco, aderiu ao movimento de resistência à ditadura militar, estimulada pela elevada consciência política dos pernambucanos.

Foi presa em outubro de 1969, e passou dois meses em cativeiro nas instalações do DOPS, tendo sido obrigada a deixar Recife pra trás, para salvar a sua vida e a da filha, pois estava grávida.

Após um tempo vivendo na clandestinidade, com filha pequena e marido, que também estava sendo perseguido politicamente, Iêda Lima teve que sair do país, em 1971, e buscou asilo político no Chile.

Com o Golpe Militar em setembro de 1973, que derrubou o presidente chileno Salvador Allende, foi obrigada a passar por um exílio dentro de um exílio, como diz José Serra em seu livro “50 anos esta noite”. Refugiou-se com marido e a filha Luisa na Embaixada do Panamá. De lá, seguiu para a Alemanha.

Após quase noves anos longe da família, dos amigos e da sua terra, retornou para o Brasil, em novembro de 1979, com a aprovação da Lei da Anistia. Depois de passar por Fortaleza, Brasília e Campinas, Iêda Lima mora agora em São Paulo, desde 2010.

Divorciada e mãe de cinco filhos, sendo três vindos do seu próprio ventre e dois que a vida lhe deu de presente, Iêda Lima se identifica como descendente de índios Tarairús e Potiguares e uma mistura com brancos Holandeses e Portugueses.

Formada em Economia de Transportes, pela Escola Superior de Transportes e Comunicações de Dresden, na Alemanha, Mestre pela Universidade Federal da Paraíba/Campina Grande e Doutora pela USP de São Carlos, em Engenharia de Transportes, Iêda Lima teve uma rica experiência profissional.

Foi Secretária de Transportes de Fortaleza, Diretoria de Transportes Urbanos da Secretaria Especial de Desenvolvimento Urbano da Presidência da República, Diretora Executiva da Agência Metropolitana de Campinas, dentre outros cargos exercidos durante a sua trajetória profissional, que incluiu AUMEF e SUTERCE, em Fortaleza e IPEA, em Brasília. Foi Coordenadora Geral do Prêmio ANTP de Qualidade, da Associação Nacional dos Transportes Públicos.

É autora do livro técnico “O novo e o velho na gestão da qualidade do transporte urbano” (Bauru: EDIPRO, 1996), e desde sua aposentadoria, em junho de 2014, dedica-se a escrever, fotografar, formar opinião via redes sociais e curtir a família e os amigos.

 

Iêda Lima lançou o seu livro em São Paulo, dia 08 de julho de 2017, na Livraria Cultura do Shopping Bourbon. Em seguida, promoveu noites de autógrafos nas cidades de:

1. Campina Grande/PB, na Livraria Espaço de Cultura, dia 17/08/2017;

2. Recife/PE, na Livraria Cultura do Paço Alfandega, dia 24/08/2017;

3. Brasília/DF, na Livraria Cultura do Shopping Iguatemi, dia 31/08/2017;

4. Rio de Janeiro, na Livraria Da Travessa, loja Ipanema, dia 19/09/2017

5. Fortaleza, na Livraria Cultura do Shopping Varanda Mall, dia 23/11/2017.

Agora ela volta a conversar com os leitores paulistanos. Será dia 28/03/2018, das 19 às 21 horas, em São Paulo, no 2º andar da Galeria Metrópole, Av. São Luis, 187, República.

Veja também:

Facebook: https://www.facebook.com/iedalimaa/

Twitter: @iedamolima

Instagram: iedamolima

Editora Literando & Afins